Blog o Morango do Nordeste -

São Bento: Dino não realizou pedido de auxílio emergencial e pede investigações

O pré-candidato a prefeito de São Bento, Dino Penha, realizou ontem, 21, diversos pedidos para investigar uma possível fraude usando seu nome no recebimento do Auxílio Emergencial, do Governo Federal.

Matérias divulgadas exaustivamente pelos seus opositores mostraram documentos que o pré-candidato teria realizado o pedido e recebeu o auxílio emergencial, o que não é verdade. Dino disse que não recebeu nada em sua conta e por isso pediu investigações.

Ele também realizou um Boletim de Ocorrência, afirmando que recebeu a informação e que ela não procede, o que pode ser uma fraude por parte de opositores para embaraçar a opinião de eleitores, pois ele lidera todas as pesquisas em São Bento.

Dino também consultou os gerentes dos bancos para mostrar que não existiu nenhum recurso que caiu em suas contas indevidamente e garantiu que não realizou nenhum pedido ao Governo Federal. O pré-candidato prepara, para as próximas horas, uma nota oficial onde irá falar mais sobre o assunto.

Fraudes

Aliados do pré-candidato levantaram uma série de questionamentos, que levantam suspeitas sobre esse pedido. Um deles é o fato de Dino Penha aparecer como sendo morador de São Luis, o que não procede pois todos os seus documentos estão em endereços de São Bento.

Uma segunda suspeitas é o fato de alguns dos seus opositores divulgarem prints que deveriam ser tirados apenas pela pessoa que pediu o auxílio e informações confidenciais que só a pessoa teria como entrar.

Fonte: Jailson Mendes 

Instituto Social e Cultural Raíssa Mendonça será criado para assistir população LGBT

Pensado para prestar assistência a indivíduos em situação de vulnerabilidade social pertencentes à população LGBT, de todas as faixas etárias, desde que demonstrem a necessidade de serem orientados e acolhidos, o Instituto Social e Cultural Raíssa Mendonça, com sede em São Luís do Maranhão, pretende ser uma entidade filantrópica, sem fins lucrativos, concebida também para amparar pessoas pertencentes a essa comunidade oriundas do sistema prisional maranhense.

As ações, sejam estas de curto ou longo prazo, serão postas em prática em parceria com órgãos públicos e privados e executadas em uma Casa de Acolhimento, local onde os assistidos receberão alimentação, apoio psicológico, jurídico, médico e orientação profissional, com a possibilidade de encaminhamento para ingresso em cursos profissionalizantes.

A Casa de Acolhimento será um ambiente que, entre outros benefícios, garantirá a integridade física e psicológica dos assistidos, com respeito total aos seus direitos, para minimizar as conseqüências das situações de opressão e vulnerabilidade social a que eles estão sujeitos, uma vez que a maioria convive com o preconceito, a intolerância e a negação de sua identidade social, encontrando, inclusive, muitos obstáculos para sua inserção no mercado de trabalho.

O projeto leva em consideração, ainda, o impacto negativo do isolamento social em decorrência da pandemia do novo coronavírus, que é maior entre a população LGBT, conforme dados preliminares de uma pesquisa realizada pelo coletivo #VoteLGBT em todo o Brasil.

Os recursos empregados no projeto do Instituto Social e Cultural Raíssa Mendonça serão oriundos, em um primeiro momento, da comercialização da obra literária “O Outro Lado da Maçã”, um romance de autoria do jornalista Evandro Júnior e que narra trajetória de vida e de luta da transexual idealizadora da entidade. Os exemplares estão à venda na Livraria e Espaço Amei do São Luís Shopping.

Além disso, o Instituto Social e Cultural Raíssa Mendonça contará com a ajuda da iniciativa privada, do poder público e de pessoas físicas que se sensibilizam com a difícil realidade da comunidade LGBT em situação de vulnerabilidade.

Desse modo, a Casa de Acolhimento do Instituto Social e Cultural Raissa Mendonça pretende oferecer um ambiente de acolhimento e empoderamento, por meio de uma assistência ampla, empática e humanizada.

Rubens Júnior faz pré-campanha híbrida entre presencial e online

Pré-candidato do PCdoB usa corpo a corpo e criatividade virtual para consolidar nome na capital

O ineditismo de uma campanha eleitoral sob uma pandemia vem exigindo adaptações de pré-candidatos e eleitores, que devem protagonizar um pleito municipal marcado por criatividades, além das já habituais. O cenário atípico trouxe impacto desde a fase de propagandas até os resultados.

Enquanto a imunização coletiva para conter a disseminação do vírus não é realidade, os postulantes adotaram protocolos rígidos de higiene. O deputado federal licenciado e ex-secretário de Estado das Cidades e Desenvolvimento Urbano, Rubens Pereira Júnior, pré-candidato do PCdoB à Prefeitura de São Luís, adotou um sistema híbrido na pré-campanha, com atividades presenciais, no corpo a corpo, e online.

Diante da pandemia da Covid-19, as redes sociais do pré-candidato ganhou cada vez mais espaço no cenário político, sendo ainda mais essenciais para as campanhas eleitorais na Capital. As ferramentas digitais, no entanto, não substituíram as abordagens no corpo a corpo, principalmente em bairros periféricos, por conta das desigualdades sociais que ainda impedem muitos ludovicenses de sequer terem acesso à internet, realidade que Pereira Júnior pretende mudar.

Desde o inicio do mês passado, Rubens aproveita a fase de pré-campanha para cumprir um cronograma de visitas aos bairros, tomando todas as medidas preventivas devido à pandemia. Para isso, ele e sua equipe vem seguindo as regras estabelecidas pelas autoridades sanitárias.

“Os cuidados com a saúde, por causa da pandemia de Covid-19, estão sendo observados com muita responsabilidade e acredito que a campanha eleitoral de 2020 será de criatividade”, disse.

*Sem aperto de mão e aglomeração*

Rubens Júnior também aposta em uma eleição “diferente de todas que já existiram” ao excluir situações típicas em campanha eleitoral: abraços, apertos de mão, aglomeração, tudo que a pandemia impede. “O ser humano possui capacidade de se adaptar a determinadas situações, como essa que estamos vivendo, mas o processo eleitoral irá acontecer, muito embora a data tenha sido alterada, por isso enquanto pré-candidato precisamos nos adequar a atual realidade”, disse Rubens.

E justamente por conta dessa realidade, diariamente, adotando as medidas devidas, Rubens não tem descuidado no chamado corpo a corpo, marca registrada na política tradicional. As reuniões no período matutino, geralmente são marcadas pela realização de um café da manhã tendo como anfitrião um pré-candidato a vereador da coligação formada, até o momento, além do PCdoB, pelo PP, DC, PMB e Cidadania.

Em razão do volume de campanha, que vem em uma crescente, às reuniões com representantes de associações e entidades de bairros também tem acontecido com frequência, sem contar, ainda, com as inúmeras declarações de apoio, situações que evidenciam o crescimento gradativo no projeto do jovem socialista rumo à Prefeitura de São Luís.

Paralelo às reuniões nos quatro cantos da capital maranhense, as ferramentas digitais também estão sendo usadas para completar a estratégia de campanha. Nesse período, Rubens já realizou plenárias virtuais com especialistas, lives com convidados, incluindo vereadores e pré-candidatos. Além disso, a versão Diálogos por São Luís, também ganhou uma versão virtual para ouvir ideias da sociedade para formação do plano de governo.

Rubens Júnior deve eleger maior número de vereadores em 2020

_Partidos que apoiam pré-candidato do PCdoB discutem ‘teto’ e ‘piso’ de votos para postulantes à Câmara_

Com apoio de cinco partidos – PCdoB, PP, DC, CIDADANIA, PMB, e com provável chegada do PT, o deputado federal licenciado Rubens Júnior, deve eleger o maior número de vereadores nas eleições deste ano, conforme análise do jornalista Jorge Vieira em seu blog.

De acordo com a publicação, os partidos que compõe a maior formação política eleitoral desta pré-campanha até aqui têm em suas fileiras pré-candidatos que representam os mais variados setores e interesses das comunidades de São Luís. São nomes que estão alinhados com os eleitores ludovicenses, que detém a simpatia e estão afinados com a população, e conhecem com profundidade os problemas e demandas dos bairros onde exercem a política.

‘TETO’ E ‘PISO’
O fim das alianças entre partidos nas eleições proporcionais está exigindo das lideranças partidárias um esforço matemático na hora de montar a chapa de candidatos a vereador, principalmente, na capital maranhense, onde a disputa é mais acirrada. Como as siglas vão ter que contar somente com a votação obtida por elas, muitas estão estabelecendo perspectivas máximas e mínimas de voto para quem quiser concorrer.

Essas exigências não são à toa. Elas ocorrem, porque os partidos terão que concorrer às eleições para vereador sem a ajuda de outros partidos, e esse será um desafio maior ainda para os nanicos. Antes, com as coligações, os partidos pequenos tinham mais chances de eleger seus candidatos, porque eram “puxados” por outros de partidos maiores. A regra é novidade em 2020.

ESTRATÉGIAS
A partir de agora, além de atingir o quociente eleitoral, os candidatos terão que alcançar, individualmente, pelo menos, 10% desse quociente para poder ocupar a vaga de vereador.

As novas regras fazem com que os partidos, em geral, busquem candidatos competitivos. Nesse jogo matemático, as legendas de pequeno, médio e grande porte estão estabelecendo um “teto” ou um “piso” de votos para os seus quadros. A articulação busca principalmente um equilíbrio entre aqueles que têm mandato e, naturalmente, largam em vantagem, e os que não têm..

200 CANDIDATOS À CÂMARA
A novidade tem forçado as legendas a montar chapas completas, e que atinjam o quociente eleitoral para conquistar vagas na Câmara Municipal. Com isso, o próximo pleito terá um número maior de candidatos a vereador, sendo que 200 destes postulantes deverão concorrer por partidos que já declararam apoio a Rubens.

Historicamente, as candidaturas majoritárias ajudam nos votos da chapa de vereadores, tanto pelo voto na legenda do candidato a prefeito, quanto pelo voto em candidatos a vereador que estejam alinhados a ele.

Isso, na visão do deputado federal Márcio Jerry, presidente estadual do PCdoB, pode fazer a diferença. Ele tem participado ativamente das conversas e costuras políticas que envolvem a pré-candidatura a prefeito de Rubens Jr. Na visão do líder partidário, esta composição poderá eleger com tranquilidade 10 vereadores na eleição deste ano.

“Temos o melhor nome na disputa majoritária. De passado limpo, atuação parlamentar testada e aprovada quatro vezes nas urnas, Rubens possui atributos da boa prática política. Contamos também com uma ampla coalizão partidária e social, com excelentes nomes na disputa pela Câmara Municipal, com forte inserção nas comunidades de nossa capital. Com tranquilidade vamos eleger 10 ótimos nomes para a Câmara de Vereadores, portanto temos uma pré-candidatura pra valer, pra vencer”, disse.

Antônio Pereira anuncia apoio ao grupo do prefeito “Zé da Folha” em São Domingos

O deputado Antônio Pereira (DEM) anunciou, na segunda-feira (13), que vai apoiar o grupo político do prefeito José Mendes Ferreira (PMDB), o “Zé da Folha”, nas eleições de novembro de 2020.

O anúncio foi feito após Antônio Pereira se reunir com várias lideranças de São Domingos, entre elas “Dinho da Folha”, e o ex-vereador “Luís da Folha”, reiterando seu compromisso com “Zé da Folha”.

Na ocasião, Antônio Pereira declarou que todos unidos e reunidos em torno de “Zé Da Folha”, outra vez disputarão as eleições em São Domingos, com chances reais de vitória nas urnas.

Em sua visita a São Domingos, Antônio Pereira também se reuniu com o vice-prefeito Clodomirzinho, com a vereadora Irislane, com o ex-vereador Valmec e expressivas lideranças do município.

“São Luís tem no seu horizonte o risco de um candidato que encarne o espírito de Bolsonaro e o seu jeito de governar”, alerta Rubens Jr

Em entrevista publicara no Estado do Maranhão, nesta terça-feira (14), o pré-candidato a prefeito de são Luís, o deputado federal Rubens Jr (PCdoB), comentou sobre as eleições de 2020 serem um termômetro para as eleições presidenciais e de governo, em 2020.

Rubens, que nunca escondeu seus posicionamentos, alertou que São Luís tem no seu horizonte o risco de um candidato que encarne o espírito de Bolsonaro e o seu jeito de governar.

“E isto não serve pra São Luís, nem para o Maranhão, como também não está servindo para o Brasil. Talvez este candidato não queira se revelar, mas é importante estarmos atentos e vendo quem representa Jair Bolsonaro nas eleições de 2020. São Luís não pode correr o risco de ter um prefeito que represente aqui o que Bolsonaro representa para o Brasil”, disse Rubens.

Principal nome da esquerda em São Luís, Rubens é filiado ao partido do governador Flávio Dino e o preferido do PT, partido de Lula, para uma aliança. Nos últimos dias várias lideranças da legenda declararam apoio ao comunista. O partido deve decidir pelo apoio formal a Rubens em encontro no próximo dia 02 de agosto.

Além do PCdoB e dos simpatizantes do PT, Rubens também já conta com apoio de quatro legendas: Progressistas, Cidadania, PMB e DC, formando, até o momento, a maior coligação partidária.

Braide vai esconder Bolsonaro

Matéria publicada na Folha de S.Paulo, nesta segunda-feira (13), revela a estratégia de Bolsonaro para as eleições municipais. Segundo a reportagem, o presidente da República não apoiará formalmente nenhum candidato à prefeito.

A tática beneficia Eduardo Braide, cujo partido é aliado de primeira hora do presidente na Câmara Federal, onde é responsável pela vice-liderança do governo.

Em São Luís, a popularidade do presidente é muito pequena, contrastando ao os altos índices de popularidade de seus principais adversários, Lula e Flávio Dino, que detém na capital mais de 65% de aprovação.

Se olharmos os últimos pleitos, quem largou na frente, perdeu”, diz Rubens Jr em entrevista a ‘O Estado’

_Pré-candidato do PCdoB declarou que “tem gente que já está cansado”, eu ainda nem “entrei em campo” _

Principal nome do PCdoB na disputa pela Prefeitura de São Luís em 2020, o deputado federal licenciado e ex-secretário de Estado das Cidades e Desenvolvimento Urbano, Rubens Pereira Júnior, 36 anos, traçou um paralelo entre política e futebol em entrevista ao jornal “O Estado do Maranhão”, demostrando que ambos não apenas se discutem, como também se cruzam.

A analogia usada pelo pré-candidato do PCdoB na capital maranhense foi o jeito mais fácil de responder um questionamento sobre seu desempenho nas pesquisas ao explicar que um time só pode pontuar quando entra em campo e não quando está no treino.

“(…) Não tenho dúvidas que a gente ainda está na fase do aquecimento. Eu vejo que tem gente que já está cansando, eu ainda nem “entrei em campo”. Na hora que começar a campanha, eu não tenho dúvida que a nossa pré-candidatura é a que mais vai crescer e naturalmente, a que vai ganhar as eleições”, declarou.

Veja a entrevista na íntegra:

01 – Você faz parte do partido e da base de apoio ao governador Flávio Dino, que, dizem, montou um “consórcio de candidatos” para vencer a eleição em São Luís. Existe de fato esse “consórcio”?

Não existe consórcio. Existem candidatos que votaram no governador Flavio Dino em 2014, e outros na eleição de 2018. É natural que assim seja e que tenhamos mais afinidades com uns do que com outros. O importante é que essa pluralidade de pensamento político eleve o debate, e quem ganha com isso é a cidade. Esta será uma eleição qualificadíssima, sem dúvida alguma. Temos bons quadros e é por isso que o PCdoB fez questão de também apresenta sua pré-candidatura.
Não chamaria de consórcio, mas não tenho medo de afirmar que a maioria dos candidatos querem ter o apoio do governo Flavio Dino. Afinal de contas, em São Luís, ele tem uma aprovação de 65%. Muito pelo acerto de sua gestão, mas também pelo enfrentamento da pandemia. Isso é um assunto que vai ser muito debatido. Eu tenho muito orgulho de ser o pré-candidato a prefeito do partido do governador Flavio Dino, respeitando os outros partidos que pensam diferente.

02 – Há duas semanas, o PDT declarou apoio ao DEM, mas o prefeito Edivaldo Holanda Júnior ainda não se pronunciou. Você acredita que o apoio dele será a sua pré-candidatura?

Seria muito desrespeitoso antecipar o que eu acho sobre a posição que o prefeito Edivaldo vai adotar. Ele é um grande amigo, tenho um grande respeito pelo seu trabalho. Está entregando a cidade bem melhor do que recebeu, e isso nós devemos reconhecer. E queremos continuar esse trabalho. É preciso dar o tempo para que, legitimamente, resolva qual vai ser seu posicionamento no pleito. Mas desejamos sim que ele continue apoiando o projeto do partido do governador Flávio Dino, o PCdoB.

03 – O presidente da MOB, Lawrence Melo, declarou apoio a você na semana passada. Esse é um indicativo de que o PT fechará aliança com o PCdoB?

O presidente da Agência Estadual de Mobilidade Urbana e Serviços Públicos (MOB) e ex-delegado geral da Polícia Civil do Maranhão, Lawrence Melo, é um importante militante do Partido dos Trabalhadores, o que sinaliza sim uma provável aliança entre os dois partidos, repetindo o que já foi feito no Maranhão e no Brasil durante muito tempo.
Existe um diálogo com PT em nível municipal estadual e federal. Eu respeito o tempo próprio do partido, sabemos todas as suas características internas, de várias tendências, de várias opiniões. Respeitamos e não acreditamos em unanimidade, mas tenho certeza que a união do PT com PCdoB faz sentido para o cidadão e mostra a força da nossa pré-candidatura. Então estou trabalhando para ter o PT na nossa coligação desde primeiro turno.

04 -Apesar de fazer parte da base governista, seu nome tem sido menos lembrado em pesquisas que os de outros aliados do mesmo campo. Isso o incomoda?

O povo não quer saber de eleição ainda. Todos estão preocupados com a Covid-19, com a possibilidade de perder do emprego. O povo quer que o posto de saúde funcione, quer que as escolas voltem com condições adequadas de funcionamento, e assim em diante.
Neste momento as discussões que partem dos debates eleitorais basicamente estão em nós mesmos, no segmento político, além de parte da imprensa. Porém não vejo a cidade em clima de campanha. São Luís, em especial, a campanha é decidida dentro do período da campanha. Ninguém nunca venceu eleições na véspera. Se olharmos os últimos pleitos, quem largou na frente, perdeu. Largar na frente na eleição de São Luís não significa absolutamente nada.
Eu tenho uma estratégia política e posso revelar: política não se faz sozinho, se faz com grupo, com propostas e com biografia. Hoje, mesmo estando atrás nas pesquisas quantitativas, tenho o maior poder de agregação. São cinco partidas que já declararam que marcharão na nossa candidatura. São mais 200 pra candidatos a vereador de São Luís. Além disso nós temos importante apoio institucional, uma militância muito forte, os movimentos sindical e social. Então não tenho dúvidas que a gente ainda está na fase do aquecimento. Eu vejo que tem gente que já está cansando, eu ainda nem “entrei em campo”. Na hora que começar a campanha, eu não tenho dúvida que a nossa pré-candidatura é a que mais vai crescer e naturalmente, a que vai ganhar as eleições.

05- Você acredita que uma aliança com o PT, e o apoio declarado do ex-presidente Lula, podem ter efeito decisivo na eleição deste ano na capital?

Eu acho que o apoio do PT e do presidente Lula são muito importantes. Se nós olharmos para a última eleição, vamos ver que as votações de Flávio Dino e de Fernando Haddad na capital foram muito expressivas. Isso porque ela expressa uma maneira de olhar o país, o estado e a cidade, que é uma maneira comprometida com a igualdade, de cuidar de quem mais precisa. Nós confiamos e temos muita convicção do impacto do apoio do presidente Lula do PT. Se isso se confirmar, vai ser uma junção de forças muito importante no cenário eleitoral de São Luís.

06 – Na sua avaliação, o prefeito Edivaldo Holanda Júnior conseguiu cumprir o que prometeu nas eleições de 2012 e de 2016?

O prefeito Edivaldo mais acertou do que errou. Tem muito mais acertos do que erros. Fez uma boa gestão e vai entregar uma cidade melhor do que recebeu. Mas há uma certa abertura no campo político para que as pessoas apresentem a suas pré-candidaturas. Então é legítimo que o PCdoB também apresente a sua visão de governar.
Hoje nós temos a vice-prefeitura, com Júlio Pinheiro, nós somos cinco vereadores na Câmara Municipal, somos cinco deputados estaduais, dois deputados federais. Diferente de outros tempos, quando o governador decidia um nome de impunha “goela abaixo” de todos, com governador Flavio Dino faz diferente. Respeita que cada partido apresente a sua visão de candidatura, e o PCdoB também é legítimo que apresente seu projeto. E diante desse cenário de falta de nomes que possa unificar, é quando apresentamos o nosso nome e também o nosso partido para ter oportunidade de bater o futuro da cidade de São Luís.

07 – Como se preparar para uma eleição que, em virtude da pandemia da Covid-19, tende a ser ainda mais digital e menos corpo a corpo que a de 2018?

Esta será uma eleição que vai exigir muita criatividade, em primeiro lugar, e também muito enraizamento. Nós confiamos na criatividade da nossa equipe, mas confiamos no enraizamento da nossa chapa de vereadores, que permitirá que, sem grandes aglomerações, inclusive por meio digital, cheguemos a cada canto de São Luís.
Nosso partido e todos os aliados políticos estão entusiasmados com esse momento. Conseguimos hoje ter a maior coligação, o nosso plano de governo está sendo construído de forma democrática. Temos o Movimento Diálogos por São Luís, já ultrapassamos as 400 propostas, somente nas edições iniciais do movimento. Todos os dias estamos nos bairros, discutindo com a população, ouvindo, olho no olho, me apresentando para quem não me conhece e mostrando nossa plataforma de governo.

08 – A eleição municipal sempre pode ser um bom termômetro para as eleições presidências e de governos, dois anos depois. Você acredita que 2020 pode ser uma mostra de que o bolsonarismo já se esgotou?

Sobre o bolsonarismo, eu diria que São Luís tem no seu horizonte o risco de um candidato que encarne o espírito de Bolsonaro e o seu jeito de governar. E isto não serve pra São Luís, nem para o Maranhão, como também não está servindo para o Brasil. Talvez este candidato não queira se revelar, mas é importante estarmos atentos e vendo quem representa Jair Bolsonaro nas eleições de 2020. São Luís não pode correr o risco de ter um prefeito que represente aqui o que Bolsonaro representa para o Brasil.

09 – Qual sua avaliação do atual momento por que passa o país? Você acredita que o presidente Jair Bolsonaro ainda pode conseguir dar algum rumo ao seu governo?

Como brasileiros, evidentemente, todos nós torcemos para que não só o governo Bolsonaro, mas que todos os governos consigam achar os caminhos necessários para melhorar o Brasil. Porém, a amostra desse primeiro ano e meio é totalmente desanimadora. Nós não concordamos com a forma que Bolsonaro governa, e o que queremos para São Luís é exatamente o inverso do que ele faz no Brasil.

Plenário aprova MP que altera idades de transferência para a reserva e de reforma dos militares

A Assembleia Legislativa do Maranhão aprovou, na sessão desta terça-feira (14), a Medida Provisória 317/2020, que altera a Lei 6.513, de 30 de novembro de 1995, relacionada ao Estatuto dos Policiais Militares do Estado do Maranhão. A proposição altera as idades de transferência para a reserva renumerada e de reforma dos militares.

Com a alteração, para efeito de transferência para a reserva renumerada e de reforma, as idades passam a ser de 65, 70 e 72 anos, sendo a última exigida somente para as patentes de coronel, tenente-coronel e major. A mudança permite que todos os postos e graduações possam colaborar por mais tempo com as missões institucionais de suas corporações e alcançar os graus hierárquicos mais elevados de seus quadros.

A matéria foi apreciada pelas Comissões de Constituição, Justiça e Cidadania (CCJ), tendo como relator o deputado Rafael Leitoa (PDT); e de Segurança Pública, recebendo parecer favorável. Após a votação, o presidente da Assembleia, deputado Othelino Neto (PCdoB), encaminhou a proposição à promulgação.

Relevância

Na Mensagem Governamental de encaminhamento da proposição à Assembleia, o governador Flávio Dino (PcdoB) justifica que sua relevância reside na necessidade de fortalecer o efetivo da Polícia Militar e do Corpo de Bombeiros do Maranhão para, dessa maneira, garantir a manutenção da prestação adequada e contínua dos serviços na área da segurança pública.

Flávio Dino argumenta que a urgência da matéria decorre dos princípios da eficiência e da supremacia do interesse público, que demandam velocidade na realização de mudanças administrativas, para assegurar a adequada prestação dos serviços públicos.

Imprensa nacional destaca Rubens Jr entre os três nomes da sucessão de São Luís

O deputado federal Rubens Pereira Júnior, pré-candidato do PCdoB à Prefeitura de São Luís, aproveita-se do bom momento que o rodeia e está na batalha para se consolidar como o nome mais viável da esquerda para as eleições municipais na capital maranhense.

Nas últimas semanas, sua pré-candidatura recebeu apoio do PP, PMB e DC, partidos do espectro da direita que buscam uma saída para evitar ficar na oposição durante o próximo Governo e começam a ver o nome de Rubens como promissor. Ao mesmo tempo, tenta atrair mais à esquerda o PT, enquanto já recebeu publicamente o apoio do Cidadania, que atua na mesma ala.
Rubens ganhou um impulso nas últimas semanas, especialmente depois de receber várias adesões das mais diversas lideranças políticas e comunitárias, fazendo seu nome sair de 0% à 100% em buscas no Google, conforme já mostramos.

Ontem, uma matéria da Folha de São Paulo, assinada pelos jornalistas João Pedro Pitombo e João Valadares, com análise sobre o cenário das eleições na capitais, destacou o protagonismo do pré-candidato do PCdoB em São Luís.

O estudo com base num levantamento feito pelo jornal, apontou que a candidatura de Rubens figura entre as principais na disputa ludovicense, ao lado do também deputado federal Eduardo Braide (Podemos) e do estadual, Duarte Jr (PRB).

Principal nome da esquerda em São Luís, Rubens é filiado ao partido do governador Flávio Dino e o preferido do PT, partido de Lula, para uma aliança. Nos últimos dias várias lideranças da legenda declararam apoio ao comunista. O partido deve decidir pelo apoio formal a Rubens em encontro no próximo dia 02 de agosto.